A Lei da Atração no e-Business

Em minhas mãos, volta e meia cai de paraquedas – seria de pára-quedas não fosse este infausto acordo ortográfico – um plano fantástico e garantido para ficar bilionário com a Internet. Depois de tantas bolhas e serpentinas financeiras, muita gente ainda acha que basta colocar o website mirabolante no ar e correr para a concessionária para pegar as chaves do Porsche.

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=W9VsGjXkHeg%5D

Qualquer tipo de e-business precisa de quatro estágios, uns mais longos, outros mais curtos, para conseguir gerar alguma receita, mesmo que a idéia seja inovadora e com grande potencial de sucesso. Entre gerar alguma receita, gerar receita e gerar lucro, as variáveis tempo e espaço são inexoráveis.

O primeiro deles é atrair usuários e a combinação de marketing on e off-line bem feito, conteúdo atrativo e cadastro grátis fazem parte da melhor receita para o bolo. A geração de tráfego passa pela atração de parceiros e otimização em mecanismos de buscas, ou seja, trazer as pessoas para o site.

Após adquirir uma massa crítica de usuários, a segunda parte do plano deve ser focada em promover a participação. E como isto pode ser feito? Com incentivos para que os usuários gerem conteúdo próprio, um gradual fortalecimento do conteúdo editorial e trazendo convidados experientes para contribuir sobre o assunto.

O foguete decola e é hora de construir a lealdade, com alguns comandos que exigem atenção redobrada como fomentar a relação pessoal entre os usuários, entre os usuários e a empresa e/ou editoria do site e customizar as interações e o relacionamento, seja através de uma bem constituída estratégia de CRM ou da personalização do conteúdo. O objetivo aqui é que a massa crítica passe a ser de perfis e de clientes defensores e vendedores do e-business.

O nirvana é alcançado quando é possível capturar valor com o negócio, quando aparecem as oportunidades de transação, seja vendendo produtos, seja vendendo database lists, publicidade, especialmente a dirigida, ou conteúdo e serviços Premium. A massa crítica de transações será fundamental para o objetivo traçado lá no início, o lucro.