Escale o ranking da busca orgânica

Fiz uma lista de itens que devem fazer parte de um checklist de SEO nas fases de planejamento, layout, montagem HTML, produção e divulgação de um website, com uma divisão entre fatores internos – aqueles que podem e devem ser feitos no conteúdo e código do próprio site – e externos – que dependem de negociações com sites de terceiros – fundamentais para a subida no ranking.

INTERNAS

1 – Frequencia: o número de vezes que a palavra é citada.

2 – Ocorrência em <H1>, <H2>: a ocorrência de palavras-chave nestas tags de título contribui para a otimização.

3 – Ocorrencia em Anchor e Links: as palavras-chave são links ou âncoras para páginas ou blocos de textos relevantes

4 – Conteúdo em bold <b></b>: palavras-chave em negrito (bold)

5 – Densidade: número de vezes que uma palavra aparece em uma página

6 – Distancia: proximidade com início da página e gap entre palavras individuais

7 – Palavras como ALT em imagens

8 – Ocorrência no <TITLE> que, de preferência, deve conter um call to action ou o título dinâmico do conteúdo da página.

9 – Metatags em movimento: não adianta encher de palavras, mas ter um acompanhamento de perto do que funciona e do que não funciona

10 – Ter conteúdo relevante e não torná-lo menos importante do que a otimização

EXTERNAS

1 – Evitar o black SEO, como link spamming, sob o risco de ser penalizado pelos buscadores.

2 – Identificar sites de parceiros potenciais para ser citado, como diretórios de links referentes ao seu business, sites do segmento, associações comerciais, fornecedores e outros parceiros de negócios, sites de press releases e divulgação de notícias do seu mercado, blogs de consumidores e parceiros e nas redes sociais.

Os buscadores estão sempre mudando seus algoritmos para indexar páginas na busca orgânica, mas experimente colocar uma tag de GOOGLE ANALYTICS em seu site sem as práticas acima e, após as mudanças, confira os resultados. Bom SEO!