Congresso TV2.0 2010

Duas apresentações me chamaram a atenção no Congresso TV2.0, ocorrido na última sexta-feira, 19 de março, em São Paulo. A primeira, a apresentação de Joe Michaels, do MSN Video, segundo o qual o mercado ainda busca um modelo de negócios para o vídeo online. Como modelo mais viável para a publicidade online no segmento, citou o Hulu, de conteúdos profissionais e poder do usuário escolher que anúncio quer ver.

Michaels compartilhou os erros e acertos do MSN no mercado de vídeo, dizendo que poucos eventos justificam a transmissão ao vivo, citando casos como a transmissão dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e o Oscar. Ele defendeu a criação de conteúdos originais para web, até anunciando como uma mudança certa na atual transposição de conteúdo da TV para a Internet. Um experimento foi um concurso com base em episódios criados a partir de diálogos do Messenger enviados pelos próprios usuários.

Sobre o futuro, ele aposta em cloud computing e interação entre os “telespectadores”. Perguntei o que ele achava sobre a interação sobre o video e como isto poderia desviar a atenção do conteúdo em si e ele disse que hoje, a Internet ainda adapta conteúdos de outras mídias, mas a tendência é que tenha um modelo próprio, onde a interatividade fará parte do vídeo.

O outro destaque ficou com a apresentação da televisão 3D, com exemplos do Carnaval, novelas e futebol da Globo/NET e a Fórmula Indy da Band, utilizando equipamentos Sony. Mostrou um pouco da imersão em conteúdo e merchandising que, em breve, estará em nossa sala.