8 Dicas para se Inspirar e Escrever um Livro

8-dicas-para-se-inspirar-e-escrever-um-livro

Thomas Edison foi bem conciso ao dizer que “Talento é 1% inspiração, 99% transpiração.” São as palavras de um inventor. Pablo Picasso pintou uma frase dentro da sua especialidade: “Que a inspiração chegue não depende de mim. A única coisa que posso fazer é garantir que ela me encontre trabalhando.”

A boa notícia é que ela chega a todo o momento, basta ficar atento e trabalhar. Agir gera mais inspirações do que o inverso, tenha certeza disto.

Existem alguns “apoios” bem interessantes para forçar essa tal inspiração a sair da caverna e manifestar-se na tinta em seu caderno ou nos bits em seu computador. São eles:

1. Pergunte-se “E se?” – Vocês não imaginam a quantidade de ideias que esta simples pergunta é capaz de gerar. Você olhar para uma pessoa, um fato ou um conceito e fazer a grande pergunta: “E se?” Funciona para criar livros inteiros e também para capítulos ou cenas. E se uma garota romântica e sonhadora se transformasse em uma megera vingativa? E se um asteroide desgovernado se chocasse com a lua amanhã às 23:22?

2. Uma Linha ou Um título – a técnica de uma linha funciona da seguinte forma: você pega o jornal (ainda existe isto?), folheia ou navega até a seção de livros mais vendidos e lê as frases que resumem as tramas que ocupam os primeiros lugares do ranking. Use a trama como modelo para uma história diferente. Funciona também com títulos. Vá até a livraria mais próxima, pegue o livro com o título mais irresistível para você, mas não o compre, nem o leia. Adicione sua história para aquele título. Funciona melhor com títulos mais abrangentes, menos com títulos do tipo “Harry Potter e a Pedra Filosofal”. Mas você pode escrever sobre um garoto (ou uma garota) órfão que desenvolve super poderes ou vence grandes desafios. Basta ser original e não imitar Peter Parker, Bruce Wayne, Clark Kent, Tarzan, Wolverine, Branca de Neve, Cinderela, Harry Potter, Goku, James Bond, Bambi, Oliver Twist, Tom Sawyer, Huckleberry Finn, Luke Skywalker, Heidi, Tom Jones, Jane Eyre, David Copperfield, Frodo Bolseiro, entre outros.

3. Empreste uma Sinopse Antiga – histórias são escritas e podem ser reescritas de muitas formas. Que tal pegar o resumo de Casablanca e transformá-lo em um Thriller médico ou criminal com um triângulo amoroso nos moldes de Rick, Ilsa e Victor?

4. Questão Quente – pegue um tema polêmico e coloque dois personagens, um de cada lado. Seja justo com ambos, justifique cada posição. Assunto controverso é o que não falta hoje.

5. Método Ray Bradbury – crie um personagem com uma obsessão, como Guy Montag de Fahrenheit 451, e siga-o.

6. Plante a Noite e Colha pela Manhã – escreva algumas ideias aleatórias em um diário ou caderno de notas antes de dormir. Na manhã seguinte, sente-se para escrever e veja se algum milagre acontece. 😉

7. Tendências são Tendências – assine uma newsletter de tendências em qualquer área – medicina, tecnologia, finanças, relacionamento – procure uma tendência e escreva uma história a partir dela. Não se surpreenda se isto criar um clássico de ficção científica.

8. Profissão Perigo – escolha uma profissão. Pergunte-se qual seria a pior coisa que poderia acontecer com um profissional daquela área. Escreva um thriller jurídico arrepiante, por exemplo. John Grisham é um mestre neste modelo.

Caso essas ideias não ajudem, muitas pessoas odeiam ou simplesmente não funcionam dentro de métodos, busque inspiração em uma das nove filhas de Mnemosine e Zeus, nas musas da mitologia grega que inspiravam a criação artística ou científica. No seu caso, as musas (ou os musos, depende de você!) não precisam ser necessariamente gregas.

***