Por que Escritores (e as Pessoas em Geral) Fracassam?

Por que as pessoas desistem?

Escritores fracassam porque desistem. É simples assim.

Mas por que desistem?

Porque têm medo, porque têm preguiça, porque são precipitados ou indecisos, porque procrastinam, se distraem, porque não querem conhecer mais a fundo ou aprender mais sobre o caminho ou porque aquele não era o caminho.

Alguns têm medo do fracasso, outros têm medo até do próprio sucesso.

Outros são preguiçosos e usam o desânimo para pular fora antes de encarar a escrita e a parcela que lhes cabe realizar na vida.

Outros superestimam sua própria capacidade e têm o mau hábito de querer abraçar o mundo, a famosa falta de foco.

Existe outra causa também, que considero pior.

Tudo o que você faz na vida tem uma curva no tempo.

Toda vez que você começa algo, a curva é acentuada para cima, você se encanta, você se motiva, você corre atrás.

E esta curva ascendente é motivação pura.

Só quem nunca se apaixonou por alguém ou por alguma coisa na vida não sabe do que estou falando.

Existe um momento em que você atinge um platô, onde esta curva se estabiliza, as novidades tornam-se mais escassas, a rotina toma conta, você deixa de aprender coisas novas.

Este platô também é conhecido como ponto de recessão.

Muitos escritores utilizam esta etapa como desculpa para desistir e começar algo novo, já que são viciados na adrenalina da curva para cima.

Alguns ficam neste ciclo para sempre, pulam de um relacionamento para outro, de um projeto para outro, de escrever um livro não terminado para outro.

Às vezes, estão a um passo de entrar em uma nova curva ascendente logo acima do platô, mas desistem, por falta de paciência, e tudo vai por água abaixo.

Invariavelmente, retornam ao ponto de princípio, buscam constantemente aquela energia dos começos e perdem a possibilidade de encarar algo muito maior, a energia dos recomeços e a energia da missão cumprida.

Uma coisa é fato: ninguém é responsável pelo seu sucesso ou pelo seu fracasso, a não ser você mesmo.

Existem sim, os sabotadores, mas é uma escolha sua dar ouvidos a eles ou não.

Mas estes não são piores do que a autossabotagem.

A primeira parte da estrada do sucesso passa pela compreensão de que você é 100% responsável pelo seu caminho.

Não é umo leitor, uma pessoa, um fato, o governo, muito menos a economia mundial que vai determinar seu sucesso ou o contrário.

A segunda parte, mais complexa, é compreender seus mecanismos de autossabotagem e tomar consciência de que se achamos que podemos ou achamos que não podemos, em ambos os casos estaremos certos, como bem disse Henry Ford.

Nossas atitudes e pensamentos vão determinar se alcançaremos ou não os resultados que desejamos.

Se eu pudesse dar uma única resposta sobre o porquê das pessoas desistirem, seria esta:

Porque suas metas não são verdadeiramente inspiradoras! 

O sucesso só depende de você e da escolha de metas que mantenham o fogo aceso antes, durante e depois do primeiro, do segundo, do terceiro e de todos os platôs.

As metas inspiradoras não te deixam desanimar jamais, fazem com que você queira aprender sempre mais, mantêm seu foco, tornam suas decisões firmes e exatas, te colocam pra fora da cama com disposição e, acima de tudo, te tornam a pessoa mais corajosa da face da Terra.

Você não vai parar por medo de nada.

Qual é a sua verdadeira meta inspiradora?

***