Escrever Para Crianças é Manter Viva a Criança Interior

vania bonadio

Esta semana entrevistei Vânia Bonadio, uma professora mineira que investiu em seu primeiro livro infantil, produzido pela Lura Editorial e com trabalho de divulgação do projeto Casa do Escritor, uma iniciativa do Livros Que Vendem.

O livro chama-se O pintinho que conseguiu voar“.

Confira o que Vânia pensa sobre escrever para crianças:

Eldes Saullo: Como é seu processo criativo e como surgiu a ideia do livro?

Vânia Bonadio: Não sou muito disciplinada com relação ao processo criativo. Vivencio fases de intensa produção, nas quais as ideias brotam em profusão em minha mente, intercalados com períodos em que a inspiração parece ter tirado férias. Sei que alguns escritores conseguem manter uma regularidade em suas produções, mas pelo que já li e ouvi, a inspiração para escrever é uma desafio para muitos.

Sobre o livro, bem, não lembro ao certo como e quando surgiu a ideia da história. Sou professora pública e convivo muito com crianças. Elas são uma fonte de inspiração poderosa. Prestar atenção no que elas dizem e fazem sempre me inspira alguma ideia. O pintinho que conseguiu voar seguramente surgiu em um desses momentos de convívio com os pequenos.

Sempre gostei de escrever, desde adolescente rabisco alguns versos, mas encarava a escrita como um hobby, nunca sequer pensei em publicar nada. Na época em que fiz Pedagogia, entre 2004 e 2008, começou a despertar em mim o desejo de tornar esse hobby uma profissão, então passei a escrever alguns textos voltados para o público infantil. Mas eu considerava esse desejo um sonho muito distante, quase impossível e minhas poucas produções ficaram engavetadas.

Em 2013, surgiu a oportunidade de participar do curso de formação continuada do PNAIC (Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa). Durante o curso, uma das tarefas era desenvolver um projeto pedagógico utilizando um livro de literatura infantil. Eu tive a ideia de pedir a um amigo que ilustrasse uma de minhas histórias para que eu pudesse fazer um “livro virtual” e usá-lo no projeto ao invés de escolher uma das obras sugeridas no curso. Assim nasceu O pintinho que conseguiu voar.

Eldes Saullo: Que mensagem você quer passar para os pequenos leitores?

Vânia Bonadio: A mensagem principal que a história passa é: “Não importa o que os outros pensem ou digam, acredite em si mesmo, persevere em busca da realização dos seus sonhos. Se você persistir e acreditar, encontrará uma maneira de realizar o que parece impossível.” Acho que essa mensagem serve tanto para os pequenos quanto para os grandes leitores!

Eldes Saullo: Como é escrever para crianças?

Vânia Bonadio: Escrever para as crianças é manter viva a criança interior. Para se comunicar com as crianças é preciso ouvi-las, tentar compreender como pensam e o que sentem, ou seja, procurar ver o mundo com os olhos de uma criança. Temos muito a aprender com elas.

Eldes Saullo: Qual foi o impacto da Casa do Escritor do Livros Que Vendem na publicação do seu livro?

Vânia Bonadio: Nossa! Difícil encontrar as palavras para expressar o divisor de águas que o Casa do Escritor do Livros Que Vendem representou não só no processo de publicação do livro, mas na minha vida!

Após o curso do PNAIC, que mencionei, enviei, sem muita esperança, alguns textos, entre eles o do livro, a algumas editoras. Na certeza de que passariam alguns anos até que alguma editora me desse um retorno (se é que alguma se interessaria), comecei a pesquisar sobre auto-publicação. Decidi investir minhas poucas economias e bancar a publicação. A princípio eu mesma considerei uma loucura e pensei estar investindo na realização de um sonho, sem perspectiva de fazer disso uma profissão ou ter algum retorno financeiro.

Na procura de uma alternativa para a auto-publicação encontrei a Lura Editorial e concomitantemente o Livros que Vendem, logo em seguida, recebi o e-mail do Livros Que Vendem anunciando o Casa do Escritor. Acho que aqui cabe aquela frase “Quando você realmente deseja uma coisa, todo o universo conspira ao seu favor”.

O Casa do Escritor continua impactando em minha vida. Se antes eu considerava a publicação do livro um gasto para a realização de um sonho, hoje, graças ao que estou aprendendo com os cursos do Livros Que Vendem, posso dizer que já me considero uma escritora independente e que O pintinho que conseguiu voar é o investimento inicial de uma carreira promissora. Já estou desenvolvendo o projeto do próximo livro…Aguardem notícias!

Vânia deixa uma frase do Nelson Mandela para os pequenos fãs: “Tudo parece impossível até que alguém faça.”

Para conhecer o trabalho de Vânia Bonadio, acesse: www.vaniabonadio.com.br

O Livros Que Vendem também desenvolveu a página do livro. Confira em www.opintinhoqueconseguiuvoar.com.br