Os Hábitos dos Escritores Altamente Eficazes

Você fica verde de raiva por não conseguir escrever e publicar com a frequência que gostaria? Se você vive ou pretende viver de livros, você precisa cultivar bons… hábitos. 

habitos-do-escritor-prolifico

O autor independente tem, pelo menos, duas tarefas que precisa cumprir diariamente: escrever e promover. Alguns escritores sugerem que você destine 20% do dia à escrita e 80% para outras atividades como promoção e vendas.

Independente de porcentagens ou regras, é importante saber dividir bem as duas, já que uma requer o foco do seu cérebro emocional e a outra do seu cérebro racional. Em ambos os casos, tudo depende de hábito. Só ele é capaz de tornar sua escrita mais prolífica e seu marketing mais consistente.

Se você deseja mesmo viver da escrita precisa descobrir quando sua mente está mais criativa para produzir conteúdo. Provavelmente é no período em que as Ondas Gama do seu cérebro estão no pico.

Ondas cerebrais

Caso não saiba, as Ondas Gama são responsáveis por aquele estado de hiperatividade e aprendizado ativo. O cérebro as produz quando estamos fazendo tarefas que necessitam de muito foco e são relevantes para o processamento de informação, memória e percepção. Desta forma, naquele momento do dia em que você se sente mais “acordado” e produtivo, você está produzindo Ondas Gama. Eis uma excelente hora para escrever.

Para isto, desenvolver o hábito de listar as tarefas mais importantes do dia é um passo crucial do escritor altamente eficaz. Naturalmente, “escrever” precisa ser uma destas tarefas, senão a primeira. Saiba que ela rende mais quando você a agenda para o período de maior produtividade cerebral.

Como já disse em algum post em um passado não muito remoto, sempre procuro fazer cinco ações diárias de promoção de meus livros. Então, nos outros períodos em que os “raios gama” não me transformam em um Hulk das letras, o foco está em fazer com que meu trabalho chegue às mãos de cada vez mais leitores.

Com relação à escrita, muita gente pensa em números de palavras como um gol. É uma maneira válida de desenvolver um hábito. Por outro lado, não adianta muito escrever 1000, 2000, 5000 palavras por dia se elas não têm consistência. No caso da escrita, consistência é fazer as palavras contarem e não o contrário. É primar pela qualidade e não pela quantidade.

Para isto, duas outras tarefas precisam constar no seu calendário semanal e também serem habituais: planejar e aprender.

Costumo deixá-las para as sextas-feiras, quando organizo a agenda da semana seguinte e separo um tempo para ler e aprender coisas novas. Na minha agenda, a sexta-feira é um “learning day”. Saio em busca de novas informações relevantes para meu crescimento pessoal e profissional.

Neste dia também planejo. Planejar, além de contribuir muito para a consistência do seu trabalho, é extremamente útil em outra tarefa difícil: dizer não para projetos que você não tem tempo ou não fazem parte do seu objetivo.

Desta forma, para conseguir escrever tantos livros em tão pouco tempo, tenho aprimorado o hábito de:

1. Escrever: faço isto entre 4 da tarde e 8 da noite, que é quando meu cérebro está no auge das Ondas Gama. Muita gente prefere escrever pela manhã ou de madrugada. Enfim, você já deve saber muito bem quais são seus horários de “criatividade máxima”.

2. Promover: separo duas horas para as cinco ações de marketing diárias que me proponho: postar nas redes sociais, responder e-mails e mensagens, fazer um anúncio, enviar um e-mail para a minha lista, criar materiais de divulgação, verificar relatórios, entre outras.

3. Planejar: geralmente não escrevo às sextas-feiras e uso meu horário de pico deste dia para planejar um livro novo e para organizar a agenda da semana seguinte.

4. Aprender: quando faço pesquisas para um livro ou apenas leio por entretenimento. Leio pelo menos 15 minutos todos os dias sobre temas variados e uso as sextas-feiras para as leituras relacionadas aos livros que estou planejando. Como bem disse Larry King: “Escreva. Reescreva. Quando não estiver escrevendo ou reescrevendo, leia. Não conheço outro atalho.”

018habitos_art[1]

Isto faz com que, muitas vezes, eu esteja envolvido com quatro livros em estágios diferentes na mesma semana:

1. O livro que estou planejando. O que também me leva a pesquisar e ler assuntos relacionados ao tema.
2. O livro que estou escrevendo. De segunda à quinta, com sol ou com chuva.
3. O livro que estou produzindo. Aquele que está em fase de pré-publicação. Leia-se revisão, formatação, design, publicação.
4. Os livros que estou promovendo, com foco no último lançado sem abandonar os que já são parte do meu “catálogo”.

Ser mais produtivo requer também mais alguns hábitos:

  • Ter Disciplina: você encontra dicas preciosas sobre isto e como implementar estes hábitos, especialmente se a escrita não é o que te sustenta no post 13 Dicas de Organização do Tempo Para Escritores“.
  • Medir Resultados: avalie como anda a consolidação de seus hábitos. Isto ajuda também a medir o sucesso. Costumo usar uma planilha onde coloco a data, o tempo gasto, o título do livro, o número de palavras escritas e o local onde escrevi para monitorar a produtividade da escrita e outra planilha com data, ação e resultados para avaliar as ações de marketing.
  • Manter o Foco: use bem a Regra do 80/20 e tenha sempre em mente que 80% dos seus resultados vêm de 20% de seus esforços. Isto ajuda bastante a dizer não e também a não se meter em tarefas que podem muito bem serem terceirizadas.

Resumindo, tornar-se um escritor que escreve e publica bastante depende de hábitos consistentes. Sei que cada pessoa funciona de uma maneira, então, cabe a você estabelecer e praticar seus hábitos de acordo com seu tempo e disposição.

Deixe seu comentário sobre os hábitos que considera mais importantes para um escritor.

Um abraço,
Eldes Saullo

****