Vampiros, Pão de Queijo e Persistência – Entrevista com Clovis Nicacio

Esta semana entrevistei Clovis Nicacio, um dos escritores independentes mais prolixos que conheço. De 2012 para cá, ele já publicou 3 trilogias (segundo ele, uma delas é mais do que uma trilogia e pode chegar a 10 ou 12 volumes) e 2 contos. Sua especialidade são as histórias sobre vampiros, o que para muita gente é considerado um nicho saturado. Clovis, com sua criatividade e tramas originalíssimas, prova que não. Um de seus livros, por exemplo, tem o sugestivo título de “O Vampiro e o Pão de Queijo”. Confira…

Eldes Saullo: Por que você escreve? O que te inspirou a escrever seu primeiro livro?

Clovis Nicacio: No final de 2011 fui convidado pela empresa para participar da criação de um manual técnico, em inglês. Fiquei um mês nos EEUU junto com outras seis pessoas, do mundo inteiro. Foi uma co-participação, mas que despertou o vírus escriturárius. Gastei 2012 pesquisando, procurando e estudando sobre como e sobre o que escrever. Por acaso, cheguei em um site onde uma jovem pedia ajuda para escrever sobre vampiros. A resposta considerada “a melhor” pelo site dizia: “Esqueça! Este tema está muito batido e ultrapassado. Parta para outra.” É muita estupidez destruir o sonho de uma jovem desta forma. Comprei a briga da menina e eu mesmo estou me tornando um escritor sobre vampiros. O tema nunca vai se esgotar. Minhas crônicas são uma abordagem diferente. Gastei 2012 com o primeiro livro escrito e procurando um jeito de publicar. Foi desgastante, mas saiu.

Eldes Saullo: Existe algo que você acha mais particularmente desafiador na profissão de escritor?

Clovis Nicacio: Tudo é desafiador. E ao mesmo tempo é muito gratificante. Escrever se torna fácil. A parte mais difícil é o período procurando por editoras, por uma forma de contar aos outros sobre o que você escreveu e por aí adiante. Seus amigos te estimulam, mas não te leem. Santo de casa não faz milagres. O maior desafio é encontrar um leitor que acredita em você.

CLOVIS-NICACIO

Eldes Saullo: Alguns autores delineiam seus livros, outros escrevem de forma mais intuitiva. Como é o processo criativo de um livro seu?

Clovis Nicacio: Estou tentando das duas formas. As crônicas e estórias curtas normalmente escrevo intuitivamente. Conforme vou escrevendo os detalhes vão surgindo e o texto toma forma como um filme que você esta assistindo. Para os romances, tenho escrito uma sinopse com a estória completa, delineando cada capitulo e até prevendo o numero e assunto das cenas, mas o texto mesmo só toma forma quando escrevo cada cena intuitivamente. E sempre altero algum detalhe, que será útil mais tarde, conforme o desenrolar. Ou, o detalhe me faz voltar e corrigir uma cena anterior, costurando tudo.

Eldes Saullo: O Marketing Digital facilitou muito a divulgação de livros, principalmente e-books. Como você promove seus livros?

Clovis Nicacio: Uso um pouco de boca a boca, numa ação entre amigos, e muito de mídias sociais. Mas ainda não encontrei o caminho ideal. Meu Marketing ainda está muito passivo, sem retorno. Eu anuncio e não sei quem vai ler. Preciso achar o caminho em que o leitor se torne ativo, que os leitores procurem meus livros. Faz parte do aprendizado que tenho pela frente, imagino que pelos próximos oito anos, um prazo que considero viável. Ate lá, estou criando um legado.

Eldes Saullo: Deixe uma frase para motivar outros autores independentes…

Clovis Nicacio: Nunca desista. O caminho não é fácil, mas é gratificante. As críticas são, muitas vezes, duras e destrutivas, mas sempre tem alguém com um elogio que compensa tudo.

Alguns de seus livros estão disponíveis na Amazon Brasil. Clique nas capas e confira:

Acompanhe Clovis em www.clovisnicacio.com

***