Escrever é a Forma de Viver Outras Vidas – Entrevista com Ambra Blanchett

Esta semana entrevistei Ambra Blanchett, autora independente portuguesa. Ela se descreve como uma mulher que já viveu meio século e que prefere a descrição e o anonimato, por isto usa um pseudônimo. Ambra vive em Portugal, é licenciada em psicologia clínica e escreveu nove romances, todos disponíveis na Amazon. Confira:

Eldes Saullo: Por que você escreve? Qual foi ou quais foram as motivações para escrever e, especificamente para escrever romances?

Ambra Blanchett: Sempre fui uma leitora ávida desde que aprendi a ler e há uns anos pensei em escrever. Tinha tanta história na cabeça que inspiração não me faltava. Faltavam-me as técnicas e em 2013 fiz o primeiro curso de escrita criativa. Depois disso, não parei de estudar e tentar aperfeiçoar a minha escrita. Sou mãe de uma filha adulta e de um filho adolescente, esposa, e uma pessoa muito atenta ao mundo e às questões sociais. Aprecio muito a vida, a família e as coisas boas que ambas nos podem dar. Ralei muito para chegar até aqui com bastante sucesso profissional como psicoterapeuta, e agora começo a ter o retorno da escrita, apesar de escrever há pouco tempo. Divido o meu tempo entre o consultório, a escrita e a família. Adoro viajar pelo mundo de mochila às costas e levo sempre comigo um caderninho onde aponto tudo para depois usar nos meus livros. Alguns se passam em cenários do mundo onde já estive.

Escrevo porque é a forma de viver outras vidas. Pode parecer estranho para algumas pessoas, mas o escritor viaja com as suas personagens, vive, dorme e come com elas. Sempre fui muito curiosa em relação ao ser humano, daí ter escolhido a psicologia, mas o meu fascínio literário foi desde muito cedo por histórias de vida, o género que mais se adapta ao romance. Comecei por ler os clássicos da literatura mundial e hoje em dia leio dois a três livros por mês de autores contemporâneos – também escrevo -, escrevo muito, todos os dias uma hora ou mais e leio o equivalente em tempo.

Eldes Saullo: Quais são as maiores dificuldades de um escritor em sua opinião?

Ambra Blanchett: Penso que a maior dificuldade de um escritor é lidar com a frustração. Se me perguntarem se escrever é difícil, respondo que não é fácil, mas é um treino diário que com o tempo flui de uma forma natural. Mas lidar com a frustração de não conseguir publicar um livro é de fato penoso. As editoras não respondem – pelo menos em Portugal é assim -, ou se respondem querem que o autor pague a edição do livros e que os venda sozinho. Eu desisti e optei pela autopublicação.

Eldes Saullo: Como você escreve? Você planeja a história antes ou escreve de forma intuitiva? Fale um pouco sobre seu processo criativo.

Ambra Blanchett: Eu sou daquelas que quando me surge uma ideia para um livro, anota em um caderninho que me acompanha para todo o lado. Depois planejo tudo, capítulo a capítulo. Primeiro construo a trama e as personagens (características físicas e psicológicas) e, em seguida, as cenas dos capítulos. Claro que os capítulos vão sendo alterados ao longo da escrita, os personagens tomam vida e por vezes tenho que os seguir e o caminho traçado sofre alterações. Por vezes em alguns capítulos escrevo de forma intuitiva, mas é um processo arriscado, podem ficar buracos na trama e cenas sem sentido. Gosto de planejar, sinto-me mais segura assim. Depois de terminada a escrita do livro, deixo-o repousar umas semanas – enquanto planejo outro – e a seguir começo a rever e editar. Depois desse processo que me consome umas duas a três semanas, dou o manuscrito para as minhas duas leitoras Beta que fazem a correção dos erros e sugerem alterações. Só depois lanço o livro na Amazon.

Eldes Saullo: Como você promove seus livros?

Ambra Blanchett: Inicialmente foi difícil ganhar visibilidade, mas inscrevi-me no Wattpad e comecei a publicar o livro sem revisão lá. Depois aprendi a usar as redes sociais e construi uma plataforma de autor com o meu blog, onde publicito os meus livros e partilho a minha experiência de autora independente com outros autores. Uso o Facebook, o Twitter, e o Pinterest e conto com a publicidade que a própria Amazon faz aos livros dos autores.

Para encerrar, ela deixa uma dica para os escritores iniciantes:

“Se realmente quer escrever, persista, não desanime e escreva todos os dias. Aprimore a sua escrita e espere pelo retorno, ele sempre chega. A melhor forma de obter retorno e angariar leitores é escrever outro livro. Boa sorte para todos.”

Para saber mais e acompanhar o trabalho de Ambra Blanchett, acesse:

http://www.ambrablanchett.blogspot.pt/

***

 

4 comentários em “Escrever é a Forma de Viver Outras Vidas – Entrevista com Ambra Blanchett

  1. Excelente entrevista, Eldes!
    Acabo de conhecer a Ambra.
    Na categoria Antologias, um dos livros dela, “Jardins de Luar”, é o mais baixado gratuitamente, enquanto o meu “Microcontos Volume 2” fica na segunda posição.
    Espero conseguir chegar a ter uma plataforma como a dela, onde ela consegue divulgar seu trabalho e onde já há muitos seguidores.
    E, claro, como a sua plataforma também, Eldes, com dezenas de publicações, milhares de visitantes e compradores.

    Obrigado por compartilhar a história da Ambra.
    Gostei muito de conhecê-la.

    Um abraço,
    Lucas Palhão

  2. Muitos parabéns e todo o sucesso, Ambra.

  3. Obrigado pela oportunidade e muito sucesso para você.

  4. Cara muito bom mesmo, gostei muito, obrigado pelo texto de qualidade.

Comente, responda, participe!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close