Escrever Requer Coragem – Entrevista com Chris Sevla

Esta semana tive a honra de entrevistar Chris Sevla, autora de “O Clube das Mulheres do Pequeno Príncipe” e “#AMOR“.

Cineasta, escritora e cientista, em 2015, Chris reuniu seus escritos que andavam espalhados por aí em uma página do Facebook. Sempre falando sobre o amor e suas várias formas de expressão, ela tem conquistado uma legião de fãs que se apaixonam pelos seus pensamentos e pela delicadeza e humor que permeiam suas histórias. Chris Sevla surpreende seus admiradores com uma proposta que transforma o livro numa espécie de mapa do tesouro.

Eldes Saullo: Por que você escreve? O que te inspirou a escrever “O Clube das Mulheres do Pequeno Príncipe” e “#AMOR”?

Chris Sevla: Escrever, para mim, sempre foi como respirar. Então continuo respirando. A vida me inspirou a escrever os dois livros. É meio clichê, eu sei, mas foram os momentos da minha vida, as encruzilhadas em que me encontrei que me impeliram para estes textos. Eu havia acabado de me separar, estava sem perspectiva alguma de trabalho ou de qualquer coisa na vida. Dava uma cabeçada atrás da outra. Então, durante uma conversa, disse que o que eu mais sentia falta nesta confusão toda em que me encontrava, era de uma vida que havia ficado de acontecer. Acharam a frase linda. Eu, também. E achei que dava uma boa história. Foram várias tentativas até à versão final, mas a partir do momento em que resolvi escrever, a história tomou rumo próprio.

Eldes Saullo: Existe algo que você acha mais particularmente desafiador como escritora?

Chris Sevla: A parte que não controlo, digo, o rumo do livro a partir de pronto, é bem difícil, porque a gente cria expectativas, trabalha para que o livro chegue a mais pessoas etc. Mas como é uma parte que não controlo, acaba sendo um desafio diferente. Da parte que controlo, é domar ou respeitar o processo de negação que acompanha a escrita. É preciso sentar e escrever, mesmo que tudo no meio do caminho resolva interferir. E isso inclui respeitar o tempo da história. Ela já está pronta na minha cabeça, mas ela tem o tempo dela, de se deixar digitar, contar, revisar e nascer. Bom, se for analisar mais a fundo, não existe controle sobre nada (risos). Talvez a única coisa passível seja se decidir a escrever. A partir daí é um exercício contante de humildade.

Eldes Saullo: Alguns autores delineiam seus livros, outros escrevem de forma mais intuitiva. Como é seu processo criativo?

Chris Sevla: Ele começa de forma intuitiva. As histórias me vêm prontas, com começo, meio, fim e curvas. Organizar isso é tão desafiador quanto. Me valho do delinear, também, em algum momento. Normalmente no começo e no fim. Porém a palavra final é mais intuitiva, mesmo.

Eldes Saullo: Como você faz para que os leitores conheçam e comprem seu livro?

Chris Sevla: Utilizo a divulgação nas redes sociais, conto com blogueiras parceiras e também com pessoas amorosas.

Eldes Saullo: Fale de seus livros. Por que os leitores precisam lê-los?

Chris Sevla: “O Clube das Mulheres do Pequeno Príncipe” é um romance sobre três mulheres bem comuns, daquelas que você se identifica na hora. A Karen é uma psicóloga que acabou de se separar. A Heide é uma professora de dança que parece saída de um comercial de xampu, toda certinha, mas que só atrai homens casados. E a Rose, é uma escritora que faz de tudo para ficar famosa. A vida dessas três vai se cruzar e, juntas, elas descobrirão que a solução para seus problemas pode estar num dos livros mais lidos de todos os tempo: O Pequeno Príncipe.

“#AMOR” é um convite à caça do tesouro. É um livro todo feito, todo escrito e desenhado à mão, com uma história que pode ser lida de, pelo menos, cinco maneiras diferentes. Ele parte dessa nossa busca quando se trata de amor, das nossas tentativas e erros, de idas e vindas, de partidas e retornos, dessa busca de fazer diferente a cada vez.

Leitores que gostam de dar risada, de chorar um pouquinho e de desafio, vão gostar dos dois livros. Mas acima de tudo, os leitores vão gostar de lê-los porque ambas as histórias estão recheadas de muito amor.

Eldes Saullo: E o que você recomenda para outros autores iniciantes e independentes?

Chris Sevla: Coragem. A palavra de ordem é coragem. Muito mais do que sentar, escrever e querer ficar famoso, é preciso coragem para se arriscar, para se dobrar a tudo o que a escrita exige de quem se atreve. E uma das coisas que ela exige, é o tempo. Coragem. Deixe a história maturar dentro de você, deixe-a criar raízes, crescer. Deixe que este tempo mature você, seu chamado. Deixe que este tempo aflore suas reais intenções, sua real necessidade de escrever. Deixe que este tempo lhe diga se seu caminho é outro ou lhe diga qual é sua voz. Deixe que esta árvore de sabedoria, na hora certa, dê-lhe seus frutos. E quando este momento chegar, seja qual for o caminho que você descobriu, tenha coragem de recolhê-los…

Os livros de Chris estão disponíveis na Amazon.

Você encontra mais sobre Chris Sevla em sua FanPage.

***