De Onde Vem a Luz?


Nos últimos anos, escrevi muitos livros, dezessete, para ser mais exato.

Além de ser algo muito prazeroso, a rotina da escrita me proporcionou algo muito maior:  um mergulho profundo no autoconhecimento.

Deste mergulho, emergiu meu mais novo livro…

Ao estudar o cérebro e a alma humana para falar sobre como escrever melhor, tanto para ficção quanto para não ficção, acabei me dando conta que nossos sentidos, físicos e metafísicos, trabalham como um bando sem comando.

O resultado disto é que mal conseguimos nos perceber, o que tem um impacto direto na percepção do outro e, com isto, na sociedade.

O que seria necessário fazer para mudar isto?

Olhando para a história, as pessoas que conseguiram melhorar alguma coisa neste sentido, sempre foram chamadas de “iluminados”.

Como sou um adepto dos métodos, comecei escrutinando a própria palavra: “iluminação”, o ato de jogar luz sobre alguma coisa ou sobre algo.

No caso específico, o “objeto” que precisa receber luz não é outro senão a “consciência”.

Desta reflexão , e reunindo os conhecimentos de mais de 17 anos estudando a Cabalá e as religiões, a paixão pela Filosofia e pela Neurociência, nasceu  Como Transcender no Metrô Lotado – O manual para ser feliz em um mundo conturbado“.

A premissa básica era se seria possível atingir a iluminação da consciência através de um processo ao invés de ficar esperando um raio cair na cabeça.

Percebi, então, que a iluminação gradativa só era possível através do autoconhecimento.

E os dois caminhos mais efetivos para isto são a Meditação e a Escrita.

O autoconhecimento é uma estrada extraordinária que precisa ser explorada, independente da fase ou das condições de vida em que você se encontra, não importando se sua mente é científica, religiosa ou adepta de uma corrente mística ou conspiratória.

A verdade é que  você sente o momento em que é estimulado a buscar algo além dos planos físico ou mental.

As coisas não saem como você planejou, seu coração vive apertado, você sabe que não está no caminho certo.

Muitos são obrigados a mudar suas rotas, seja através de um incidente ou acidente no percurso, o que chamo de “raio na cabeça”.

Quando o sinal aparece, se você ignora este “chamado”, acaba deixando uma grande possibilidade de transformação de lado.

Porém, a “iluminação” sem a descarga energética de um raio requer um esforço consciente que envolve intenção e propósito.

Caso contrário, é bem provável que a vida passe e você continue inconsciente do caminho a seguir, imerso nas penumbras da semiconsciência ou da escuridão total da inconsciência.

Com isto, segue sofrendo as consequências da submissão às ilusões e preso às mentiras que lhe foram impostas ao longo da história do homem.

O que talvez as pessoas não saibam é que a tão propagada “iluminação espiritual” não é exclusividade de uma religião ou corrente esotérica.

Ela também passa pela Filosofia e pela Ciência e está diretamente relacionada com as ondas cerebrais, também conhecidas como oscilações neurais, as frequências de funcionamento do cérebro.

Assim, “Como Transcender no Metrô Lotado – O manual para ser feliz em um mundo conturbado” reúne conhecimentos científicos, filosóficos e religiosos para ampliar a consciência de quem procura respostas para uma vida mais significativa.

Ao analisar e comparar textos sagrados da Cabalá, das religiões monoteístas e das sabedorias orientais e herméticas sob a luz da Filosofia e da Ciência, o livro mergulha nos sete sentidos para “jogar luz sobre” as consciências necessárias para uma vida coletiva mais virtuosa.

E é tudo uma questão de hiperventilar o cérebro e alinhar as três pessoas que existem dentro de você.

O livro está disponível nas versões digital (e-book) e papel na Amazon. Para diferenciar dos livros sobre autopublicação, utilizo apenas meu primeiro nome na capa. Clique na imagem abaixo ou aqui para mais detalhes.