Como Escrever Cenas Irresistíveis em 9 Passos

Uma boa história é uma sequência de cenas que se sucedem em um determinado ritmo e compõem a trama.

Quem escreve ficção volta e meia se depara com os dramas de colocar uma cena no papel.

Neste post, apresento 9 etapas para te ajudar nesta tarefa e não ficar paralisado sem saber por onde começar ou seguir.

Não importa se você é um autor ou autora de romances, dramas, comédias, terror ou ficção científica.

Depois de planejar, delinear ou até mesmo começar a escrever seu livro, fazer a trama andar cena após cena pode ser um grande desafio.

Pode também descambar para o bloqueio, para a procrastinação ou, pior, até para o abandono da história.

Se você já passou por isto sabe muito bem do que estou falando.

Se ainda não, as dicas a seguir vão facilitar muito a sua jornada de escritor na hora de colocar sua trama em movimento, cena por cena.

São 9 dicas para planejar e escrever cenas cada vez mais irresistíveis.

1 – Necessidade

Já li muitos livros sobre escrita criativa e roteiros na vida.

Ao ensinar sobre construção de cenas, a grande maioria deles recomenda que você pense no que o personagem quer.

E isto costuma gerar cenas insossas ou irrelevantes.

Primeiro porque o responsável pela história é você e não seu personagem.

Se você perguntar o que seu personagem quer, ele certamente vai responder que deseja evitar o conflito.

Com isto, sua história ficará tão emocionante quanto o grupo da família no Whatsapp.

Depois, quem tem que querer é você, o autor, com base na necessidade da trama e dos conflitos e soluções que você planejou.

Assim, a pergunta a ser feita não é o que seu personagem quer, nem mesmo o que poderia acontecer e, sim…

“O que precisa acontecer?”

Se você planejou bem sua história antes de sentar-se para escrevê-la, vai tirar esta de letra.

Agora, imagine que você está na rua, a caminho de uma editora com seu manuscrito embaixo do braço e uma ventania leva embora para sempre uma das páginas, justamente a que contém a cena.

A trama ainda faria sentido?

Se a resposta for sim, sua história não precisa daquela cena.

Você não deveria nem tê-la escrito, mesmo que tenha uma dúzia de desculpas para mantê-la.

– “Mas ela era tão bacana!” – você argumenta.

Foque em cenas que são cruciais para a trama.

Uma das coisas que aprendi com boas histórias é que tudo o que pode ser cortado deve ser cortado.

Assim, amarre seu livro com cenas imprescindíveis.

 

2 – Personagens

Antes de escrever uma cena, responda: “Que personagens precisam estar nela?

Cada personagem precisa ter sua missão muito bem definida na história.

Questione sua relevância não apenas para a trama como para cada cena.

Planejá-los e refletir sobre suas motivações antes é um bom caminho.

Se um personagem não precisa estar na cena, não o coloque apenas para mostrar que ele existe.

Você vai perder seu tempo e o do leitor com descrições ou diálogos irrelevantes.

E lembre-se: bons coadjuvantes geralmente têm objetivos diferentes dos heróis e dos antagonistas.

3 – Cenário

Se você leu um dos meus livros sobre escrita criativa se lembrará de que dedico um capítulo inteiro para falar de cenários.

A criatividade na escolha da ambientação é peça importante na valorização da trama.

Quanto mais óbvio o cenário, menos interessante fica para o leitor.

Então, não tome uma decisão tão rápida de situar os acontecimentos em um restaurante, em um bar ou na sala de estar.

Torne o espaço ativo e tão necessário para a narrativa quanto qualquer outro elemento.

Use todos os sentidos para tornar tudo mais real.

Faça o leitor transportar-se para o ambiente.

Lembre-se também que o diálogo de um casal que acaba de se conhecer em um açougue será muito diferente do que em uma padaria.

Cenários que enriquecem a história são aqueles que interagem com os personagens ou mostram como eles se sentem diante deles.

4 – Surpresa!

Humor, surpresa e confusão têm um denominador comum: eles prendem a plateia.

Libere sua criatividade, solte um pouco as amarras do seu planejamento racional da trama e considere algumas possibilidades bem loucas.

Obviamente, nem toda cena precisa conter uma grande surpresa ou terminar em piada ou pandemônio.

Mas seu livro precisa de alguns momentos completamente inesperados, que façam o leitor se comover, gargalhar (mesmo se for um drama ou uma história de terror) ou que coloquem seus personagens em uma sinuca de bico.

Assim, antes de escrever uma cena, pergunte-se o bom-humor, a surpresa ou “a grande confusão” poderia acontecer nela.

5 – Duração

A cena que você vai escrever será longa ou curta?

Segundo Ítalo Calvino, a narrativa é um cavalo que ora galopa, ora trota.

Uma trama envolvente e bem contada equilibra o ritmo para não cansar ou chatear o leitor.

Cenas mais longas costumam diminuir o ritmo e cenas mais curtas podem aumentá-lo.

Você pode escrever uma mega cena (Ops!) de cinco páginas e descobrir depois que ela poderia atingir seu objetivo em meio parágrafo.

Desta forma, pergunte-se antes:

“Quanto espaço você está disposto a dar àquela cena?”

6 – Opções

Lembra do “Você Decide“, aquele seriado em que os telespectadores ligavam e escolhiam o final?

Que tal pensar em três diferentes caminhos para começar sua cena?

Com base na cena anterior, sempre há uma sequência natural ou diálogo que pode parecer perfeito para iniciar a nova cena.

Porém, muitas vezes esta não é a melhor solução.

Einstein dizia que problema algum pode ser solucionado usando o mesmo estado mental em que foi criado.

Assim, não se contente com a primeira opção.

Tente enxergar as opções por outros ângulos.

 

7 – Visualize!

Imagine que seu livro é um filme e você está assistindo o desenrolar da trama ávido pelo que vai acontecer.

Feche os olhos e rode a cena ainda não escrita em sua cabeça.

Você não imagina o poder que sua pineal, o lugar aí no seu cérebro de onde vem a inspiração, tem de gerar imagens mentais.

Pode parecer difícil no começo, porém logo você começará a ouvir os diálogos, sentir o clima, o cenário e os acontecimentos necessários para mover sua história.

Neste momento, o que era apenas um pensamento vago se transforma em ação recheada de inspiração.

Não se intimide.

Deixe fluir.

Murmure os diálogos.

Faça uma imersão no universo da história com a imaginação a toda.

8 – Liste!

Depois de visualizar a cena, você pode ficar tentado a sentar-se e a colocar tudo no papel nos mínimos detalhes.

Não faça isto.

Especialmente quando você sabe que a boa história mostra em vez de contar.

Se você partir direto para mostrar, poderá se perder, esquecer ou até se ver diante de um bloqueio criativo.

Não escreva a cena completa ainda.

Não escreva todos os diálogos.

Faça uma lista rápida dos acontecimentos como se fosse uma lista de tarefas com bullets.

Algo do tipo:

  • O herói caminha quase sem fôlego pela trilha.
  • Chega até um penhasco.
  • Vê uma ponte de madeira caindo aos pedaços.

Saiba como contar antes de mostrar em mais detalhes neste post.

9 – Escreva a cena

A primeira dica é “não tente rechear o bolo todo de uma vez“.

Também não tente seguir sua lista de bullets ao pé da letra.

Uma lista é chata e algo reescrito a partir de uma lista também será.

Comece do zero. Permita-se fugir do script.

Se você gastou um tempo visualizando a cena, ela virá com mais cerejas agora.

Dependendo da natureza da cena, acertar os diálogos pode ser o trabalho mais pesado.

Antes de se embrenhar na conversa de personagens, foque em escolher as melhores palavras para descrevê-los, em descrever a ação e o tom para que os leitores sejam capazes de ver a mesma cena em suas cabeças.

Você também já deve ter ouvido por aí que escrever é reescrever.

Não reescreva a cena logo depois de escrevê-la.

Deixe para quando for trabalhar no segundo draft do seu livro, ou seja, para quando for reescrever tudo.

Assim, você poderá enxergar a cena com novos olhos, reforçar o que está frágil e cortar o que está sobrando.

Por fim, repita o processo.

Segue, então, um resumo em 10 questões para se perguntar antes de escrever cada cena do seu livro:

  1. O que precisa acontecer para que a trama mova? A cena é imprescindível?
  2. Que personagens precisam participar da cena?
  3. Em que cenário a cena poderia se passar?
  4. O que pode acontecer de surpreendente?
  5. A cena é longa ou curta?
  6. Esta é realmente a melhor solução?
  7. Você consegue visualizar a cena?
  8. Quais são os acontecimentos? Liste-os!
  9. Como você pode mostrar ao invés de contar?

Seu leitor agradecerá na forma de muitas avaliações positivas.

E avaliação positiva significa mais vendas, mais royalties, mais sucesso.

Luz, Letras… Ação!

PS: se você conhece alguma técnica ou dica para escrever cenas irresistíveis, compartilhe nos comentários.

E se deseja aprimorar suas técnicas na arte da escrita criativa, saiba mais sobre meus livros sobre o tema: