fbpx

9 Razões Para Vender e-Books Diretamente

Como autor, você deveria vender seu próprio livro diretamente?
A resposta é SIM, cada vez mais autores têm obtido sucesso com vendas diretas de livros em seus próprios websites.
E a tendência é que isso continue a crescer em 2022.
No começo de 2021, decidi construir minha própria loja.
Levei três meses planejando, estudando as ferramentas e em março, iniciei as vendas de e-books em PDF no livrodireto.com
O começo tímido não me desanimou.
Uma coisa que aprendi empreendendo é que a gente nunca deve desprezar os pequenos começos.
Antes de colocar a coisa para voar, você aprende com teorias.
Os começos são campos para a aprendizagem prática.
Hoje posso afirmar que foi a decisão mais acertada que tomei nos últimos anos.
A dependência da Amazon me incomodava.
Quando ela começou a vender outros produtos no Brasil, além de livros, vi minhas vendas de e-books despencarem 70% em um mês.
Pensei…
“Se quero ser um autor independente, também preciso ser independente dos canais de vendas, não apenas na publicação e no marketing”.
A curva do aprendizado nas vendas diretas é íngreme, mas também não é um bicho de sete cabeças.
As recompensas também são grandes.
Em 2021 vendi mais e-books diretamente do que nos últimos cinco anos através da Amazon.
As ferramentas se tornaram mais fáceis, como os plug-ins para WordPress, e as plataformas de transações de pagamento mais acessíveis e inclusivas.
O pix caiu do céu!
A venda direta se tornou um canal viável para nós, autores.

E quais são os benefícios disso?

1. Royalties maiores

Já que o custo dos royalties das plataformas vendas (Amazon, Apple, Kobo) é eliminado, você recebe mais.
Se antes você precisava deixar 30%, às vezes muito mais, com elas, hoje você pode receber até 90% do preço de capa, lidando apenas com os custos das plataformas de cobranças.

2. Redução do impacto da concorrência

Ao direcionar o tráfego, orgânico e pago, para a sua loja, você praticamente elimina os seus concorrentes.
A Amazon, por exemplo, possui mais de 200 mil títulos só no Brasil, o que acirra a competição.

3. Praticar preços mais altos

Sem concorrentes, você pode cobrar mais caro pelo seu livro, pois o efeito comparativo com outros títulos é reduzido.
O aumento no preço dos livros é uma forte tendência do mercado, segundo a Written Word Media.

4. Vendas automáticas

As automatizações e integrações, presentes em diversas ferramentas – sistemas de loja, meios de pagamento, newsletter, recuperação de carrinho, funis de vendas, entre outras, – dão um pouco de trabalho no início, mas depois geram vendas passivas e recorrentes.

5. Mais liberdade

O controle da loja cabe hoje na palma da sua mão, o que significa mais liberdade.
Eu, por exemplo, faço toda a gestão da loja – pedidos, pagamentos, reembolsos – através de dois aplicativos e de qualquer lugar do mundo onde haja conexão com a Internet.

6. Acesso à informação de compras

Você sabe de onde vêm as vendas. O autor tem acesso completo aos dados dos leitores-clientes e de compras.
Isso permite compreender mais a fundo seu público-alvo e utilizar essas informações para vender mais, com mais tiros certeiros no alvo e menos dispersão de investimentos.

7. Ampliação do mix de produtos

O e-book é um produto de entrada, com ticket médio baixo.
Através de outros plugins, você pode integrar vendas de livros físicos, audiobooks (cujo consumo também está aumentando), cursos online, consultorias, treinamentos, oficinas, prestação de serviços, assinaturas…
E multiplicar suas fontes de receitas.

8. Maior proteção de seus direitos

As maneiras de inibir pirataria continuam se solidificando.
Também através de plugins, hoje você pode incluir marca d’água e QR Codes com dados do comprador, permitir que os arquivos sejam abertos com senhas personalizadas (o e-mail do comprador, por exemplo), dificultar a cópia de um texto.
Com a popularização das tecnologias de NFT, sigla para “Non Fungible Token”, uma espécie de carimbo imaterial ou assinatura digital na obra, porém plenamente visível, cada unidade vendida poderá ser facilmente identificável, rastreável e com força atributiva de propriedade.

9. Mais um canal de vendas

A venda direta soma, ou seja, não exclui os outros canais. Você pode continuar vendendo nas outras livrarias.
Você perde os benefícios da exclusividade na Amazon, por exemplo, mas o impacto disso é baixo, comparado ao aumento das receitas de outros canais.

E tem mais…

Com a redução dos custos das impressoras de livros, o futuro aponta para que as livrarias pessoais vendam e ampliem seus royalties também com o livro em papel.
Outra forte tendência para os próximos anos é o auxílio de inteligência artificial na escrita, o que é preciso ficar de olho.
Já imaginou você planejar um livro e um algoritmo escrevê-lo para você?
Há certamente grandes desafios pela frente, como manter-se atento às mudanças tecnológicas, cada vez mais rápidas.
E também ficar de olho no aumento nos custos de publicidade digital.
A demanda por espaços aumenta exponencialmente a cada ano, combinada com as restrições de rastreamento impostas por empresas, como a Apple, e até uma possível morte dos cookies, já anunciada pelo Google.
2022 parece que será um divisor de águas nas vendas diretas de livros, mesmo que a gente ainda não saiba como muitas des tendências se desdobrarão.
O que você acha de tudo isso? Você gostaria de aprender como construir sua própria loja, como anunciar e como construir funis de vendas com seu conteúdo?
Em 2022 estaremos juntos nessa jornada, com muito conteúdo para te ajudar na publicação, divulgação e vendas dos seus livros.
Feliz Ano Novo!
Um grande abraço e se cuida.
Eldes Saullo

Originally posted 2021-12-31 15:27:56.

14 comentários em “9 Razões Para Vender e-Books Diretamente”

  1. A partir de sua sugestão fui a campo e achei a Hotmart e me inscrevi e cadastrei meu livro. É totalmente gratuito e a gente pode vender com todas as condições de recebimento via cartão e boleto. Mas é claro que eles vendem o curso de vendas, mas é opcional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.