fbpx

Como Criar Premissas Fabulosas Para Histórias em Quadrinhos

Se você é fã de quadrinhos, com certeza já se pegou pensando em como criar histórias instigantes.

Daquelas que o leitor pega e só larga quando acaba.

Vou te contar um segredo: tudo parte de uma boa premissa.

Mas o que é uma premissa, afinal?

São as ideias centrais que vão guiar a trama da história. 

É como se fosse uma espécie de “esqueleto” bem básico, que sustenta toda a narrativa.

Sem uma premissa forte, a história fica sem rumo e os personagens perdem a motivação.

Tome nota. Uma boa premissa combina, em uma ou duas frases:

O personagem central + sua motivação ou objetivo + o mundo em que vive + os obstáculos ou conflitos que enfrenta.

E deve gerar curiosidade para que o leitor queira saber mais, o que é crucial para manter o interesse na história.

Por exemplo, vamos supor que você vá contar uma história de crime e mistério futurista.

Uma boa premissa pode ser…

Em uma cidade futurista (mundo), um detetive cibernético (personagem) deve perseguir um hacker habilidoso (objetivo) que está causando caos e destruição (conflito).”

Esse modelo funciona para qualquer tipo de história.

Um poeta angustiado, que detém o poder de colocar as pessoas para sonhar (personagem), tenta compreender (objetivo) como isso causou o apocalipse (conflito + mundo)”.

Ou

Em 2073 (mundo), um perigoso traficante (personagem) escapa da prisão e é perseguido (objetivo é fugir) por um clone (conflito) reprogramado pelo governo do Rio de Janeiro (mundo).

Usei essas duas premissas em roteiros de HQs que escrevi: “O Plantador de Sonhos” e “Ditto Fúria”.

Além de guiar a história, as premissas também ajudam a definir o tom e o estilo.

Uma história com uma premissa mais séria pode ter um clima mais sombrio e pesado, enquanto uma história com uma premissa mais leve pode ser mais divertida e descontraída.

Mas não pense que definir as premissas é uma tarefa fácil.

É preciso muita criatividade e planejamento para criar uma história coesa e envolvente.

Iniciar uma história em quadrinhos requer um compromisso significativo de tempo, então certifique-se de ter interesse suficiente em seus personagens e enredo para ver seu projeto até o fim.

Leia:  10 Dicas para Terminar seu Livro

A fase de brainstorming varia de pessoa para pessoa, mas você pode esperar que sua ideia original evolua um pouco enquanto está começando.

Certifique-se de manter um caderno à mão para anotar diálogos, esboços e ideias de história quando elas surgirem em sua mente.

Isso posto, comece com a famosa pergunta “E se?”.

E se tal situação acontecesse com tal personagem? 

Eis uma maneira de criar diferentes circunstâncias que podem levar a uma premissa e, eventualmente, a uma história.

Por exemplo, você pode perguntar o que aconteceria se um adolescente pudesse viajar para o paleolítico?

E se um orfão milionário vestisse uma fantasia de morcego para dar cabo da sua vingança?

E se o tempo fosse palpável?

Uma boa história é sempre sobre um personagem com uma motivação ou objetivo e quem vai contribuir e quem vai impedi-lo de realizar seu desejo.

Responda:

  • Quem é o personagem principal da sua história?
  • Onde e em que tempo a história se passa?
  • O que o personagem deseja?
  • Por que não consegue?
  • Que atitudes toma em relação a isso?
  • E como isso termina?

Elas são a base de tudo e vão ajudar a guiar a sua narrativa do começo ao fim.

Depois de levantar uma lista de ideias e escolher uma delas, vale a pena refletir se você está mesmo a fim de escrever a história.

Ninguém escreve bem sem vontade de escrever.

Uma grande premissa parte de uma perspectiva única e de uma curiosidade genuína. 

Se não desperta curiosidade em você, não vai despertar no leitor.

Pergunte-se a si mesmo o que mais te excita na ideia que pretende explorar.

O que mais atrai sua curiosidade e por quê?

Escolha uma premissa que você acredita.

Com a avalanche de conteúdo serial despejada online e em papel todos os dia, sua visão criativa será o grande diferencial.

Aliás, defina uma premissa que você acredita fortemente.

Depois de pensar em si mesmo, pense na outra ponta:

Por que o público se importará?

Uma vez que você descobriu com qual ideia de história se conecta, encontre uma maneira de conectá-la ao público.

Em muitos aspectos, contar histórias é sobre a exploração da experiência humana.

Leia:  O Futuro dos Livros: Inteligência Artificial na Escrita.

Qual faceta da experiência humana sua história envolve? 

Isso se conectará à sua premissa e fará com que a história importe para um público.

Existem inúmeras experiências humanas que podem gerar boas conexões para uma história em quadrinhos, e tudo depende do tipo de história que você deseja contar.

Algumas experiências comuns incluem:

  • Amor e romance
  • Traição e decepção
  • Luta pelo poder e controle
  • Sobrevivência e superação de adversidades
  • Mudanças e transformações pessoais
  • Conflitos familiares e pessoais
  • Viagens e aventuras
  • Identidade e busca pela verdadeira natureza
  • Questões sociais e políticas
  • Exploração de mundos imaginários

Essas são apenas algumas ideias, mas a verdadeira chave para uma conexão emocional forte com os leitores é apresentar uma história autêntica e bem desenvolvida que aborda as experiências humanas com empatia e profundidade.

Não tenha medo de pensar fora da caixa e criar premissas únicas e originais.

Afinal, é isso que faz uma HQ se destacar das demais.

O texto impulsiona a ação visual e preenche detalhes importantes da trama e traços de personagem.

Se seu objetivo é fazer uma história em quadrinhos que pareça coesa e bem projetada de capa a capa, desenvolva seu roteiro antes de tudo. 

Caso contrário, você corre o risco de acabar com um monte de painéis que podem ter que ser retrabalhados ou descartados se a narrativa não se alinhar com eles. 

Iniciantes perceberão muito rapidamente que revisar o texto é muito mais fácil do que redesenhar uma página inteira.

Se você deseja escrever histórias em quadrinhos, eu revelo algumas técnicas cruciais em “A arte de escrever histórias em quadrinhos: roteiro, publicação e marketing de HQs independentes“.

O livro cobre todos as etapas da criação de histórias em quadrinhos, da escolha do público-alvo, passando pelo roteiro e produção, até o marketing.

E vai te ajudar a colocar sua história no papel e a criar sua HQ, seja uma revistinha, uma graphic novel, um álbum ou uma tirinha.

Você vai descobrir os passos para criar, produzir e lançar uma HQ independente sem a necessidade de uma editora.

E ainda encontra um desafio para construir público como quadrinista no Instagram e um modelo detalhado de roteiro para quadrinhos.

Recomende este artigo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Livraria

    Conheça os e-Books sobre escrita criativa, escrita analítica e marketing literário de Eldes Saullo.

  • Academia

    Avance 10 anos em sua carreira com treinamentos profundos sobre escrita e marketing literário.

  • Casa do Escritor

    Publique seu livro com a qualidade de uma editora tradicional e as vantagens da publicação independente.

Leia Também...

E--POSSIVEL-VIVER-DE-LIVROS-NO-BRASIL
Dá para Viver de Literatura no Brasil?
Uma pergunta que sempre ouço é se dá pra viver de literatura...
valentina-o-brilho-de-uma-vida-lene-nunes
O Escritor Não é Nada Sem o Leitor
Lene Nunes é uma escritora baiana que se considera...
COMO-CONTAR-UM-CONTO
Como Escrever um Conto (As 5 Artes A Serem Dominadas)
Explore o fascinante mundo dos contos. Mergulhe nas...
super-nicho-kindle
Escrevendo Para os Outros: Pesquisa de Nicho Para Autores de Não Ficção
Neste post, quero falar de dois conceitos importantes...
conte-antes-de-mostrar
Conte Antes de Mostrar
Quem nunca encarou uma página em branco, aquele momento...
DEUS8
Reescrevendo Deus
O tema da vez do Reconstruindo Palavras é sobre o maior...
×